O caminho...

Intento, ainda acanhada, entregar-me às letras, sílabas, palavras, frases e o que se pode obter dessa junção. Coisa linda a mistura das palavras.


Sempre fui encantada pela nossa Língua e tive a oportunidade de ter como mentora, na antiga quinta série, a professora de LP Maria Alice.

Seu saber e envolver a todos nós, seus alunos, fez-me, literalmente, apaixonar-me por uma mulher aos onze anos de idade

Paixão platônica, pueril, inocente e verdadeira. Nascida da admiração do saber e ir além fazendo os outros também participarem desse conhecimento espetacular, quanto se trata de se entregar à Língua Portuguesa.

Vivo pelos cantos, tanto internos quanto externos, de caderneta em punho e caneta entre os dedos. Do nada, vejo uma imagem ou ouço uma palavra perdida num bar e dali parto para uma história vinculada à alguma vivência minha, da infância difícil até a executiva promissora, e me abro para o mundo das letras.

Meus dedos percorrem rapidamente a caderneta anotando o que me for possível trazer à tona, num momento posterior, de pura entrega, dedicar-me a misturar palavras, ritmos, sentidos, além, de uma boa dose de singularidade.

É assim que construo sem pressa meus poemas, versos, sonetos, também minhas crônicas, prosas e contos.

Foi a poesia que me salvou de me destruir na minha mais pura e insólita melancolia.

Foi a poesia que me salvou de mim mesma, impediu que eu ultrapassasse a linha da imaginação e fosse para algum lugar nunca antes visitado.

É a poesia, o verso, a magnitude da construção literária que me mostram quem realmente sou.

Oras posso valer até um milhão, mas sei tão bem que não valho sequer um tostão.

Humana sou.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Dr. House - Not As We - Alanis Morissette



Reborn and shivering
Spat out on new terrain
Unsure, unconvincing
This faint and shaky hour.


Day one, day one
Start over again
Step one, step one
I'm barely making sense for now
I'm faking it till I'm pseudo making it
From scratch begin again but this time "I" as "I"
And not as "we".


Gun shy and quivering
Timid without a hand
Feign brave with steel intent
Little and hardly here.


Day one, day one
Start over again
Step one, step one
With not much making sense just yet
I'm faking it till I'm pseudo making it
From scratch begin again but this time "I" as "I"
And not as "we".


Eyes wet toward
Wide open frayed
If God's taking bets
I pray He wants to lose.


Day one, day one
Start over again
Step one, step one
I'm barely making sense just yet
I'm faking it till I'm pseudo making it
From scratch begin again but this time "I" as "I"
And not as "we".


Não Como Nós


Renascida e insegura
Cuspida em novo terreno
Incerta, sem convicção
Essa fraca e instável hora.


Primeiro dia, primeiro dia
Começa outra vez
Primeiro passo, primeiro passo
Não estou nem fazendo mais sentindo por enquanto
Eu finjo até eu pseudo-conseguir
Começar do zero outra vez, mas agora "eu" como "eu"
E não como "nós".


Hesitante e agitada
Tímida, sem uma mão
Disfarço-me de brava com intenções de aço
Pequena e distante.


Primeiro dia, primeiro dia
Começa outra vez
Primeiro passo, primeiro passo
Sem fazer muito sentido, ainda
Eu finjo até eu pseudo-conseguir
Começar do zero outra vez, mas agora "eu" como "eu"
E não como "nós".


Olhos molhados
Abertos e cansados
Se deus está fazendo apostas
Eu rezo que ele queira perder.


Primeiro dia, primeiro dia
Começa outra vez
Primeiro passo, primeiro passo
Não estou nem fazendo mais sentindo por enquanto
Eu finjo até eu pseudo-conseguir
Começar do zero outra vez, mas agora "eu" como "eu"
E não como "nós".
Postar um comentário