O caminho...

Intento, ainda acanhada, entregar-me às letras, sílabas, palavras, frases e o que se pode obter dessa junção. Coisa linda a mistura das palavras.


Sempre fui encantada pela nossa Língua e tive a oportunidade de ter como mentora, na antiga quinta série, a professora de LP Maria Alice.

Seu saber e envolver a todos nós, seus alunos, fez-me, literalmente, apaixonar-me por uma mulher aos onze anos de idade

Paixão platônica, pueril, inocente e verdadeira. Nascida da admiração do saber e ir além fazendo os outros também participarem desse conhecimento espetacular, quanto se trata de se entregar à Língua Portuguesa.

Vivo pelos cantos, tanto internos quanto externos, de caderneta em punho e caneta entre os dedos. Do nada, vejo uma imagem ou ouço uma palavra perdida num bar e dali parto para uma história vinculada à alguma vivência minha, da infância difícil até a executiva promissora, e me abro para o mundo das letras.

Meus dedos percorrem rapidamente a caderneta anotando o que me for possível trazer à tona, num momento posterior, de pura entrega, dedicar-me a misturar palavras, ritmos, sentidos, além, de uma boa dose de singularidade.

É assim que construo sem pressa meus poemas, versos, sonetos, também minhas crônicas, prosas e contos.

Foi a poesia que me salvou de me destruir na minha mais pura e insólita melancolia.

Foi a poesia que me salvou de mim mesma, impediu que eu ultrapassasse a linha da imaginação e fosse para algum lugar nunca antes visitado.

É a poesia, o verso, a magnitude da construção literária que me mostram quem realmente sou.

Oras posso valer até um milhão, mas sei tão bem que não valho sequer um tostão.

Humana sou.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Dr. House - Not As We - Alanis Morissette



Reborn and shivering
Spat out on new terrain
Unsure, unconvincing
This faint and shaky hour.


Day one, day one
Start over again
Step one, step one
I'm barely making sense for now
I'm faking it till I'm pseudo making it
From scratch begin again but this time "I" as "I"
And not as "we".


Gun shy and quivering
Timid without a hand
Feign brave with steel intent
Little and hardly here.


Day one, day one
Start over again
Step one, step one
With not much making sense just yet
I'm faking it till I'm pseudo making it
From scratch begin again but this time "I" as "I"
And not as "we".


Eyes wet toward
Wide open frayed
If God's taking bets
I pray He wants to lose.


Day one, day one
Start over again
Step one, step one
I'm barely making sense just yet
I'm faking it till I'm pseudo making it
From scratch begin again but this time "I" as "I"
And not as "we".


Não Como Nós


Renascida e insegura
Cuspida em novo terreno
Incerta, sem convicção
Essa fraca e instável hora.


Primeiro dia, primeiro dia
Começa outra vez
Primeiro passo, primeiro passo
Não estou nem fazendo mais sentindo por enquanto
Eu finjo até eu pseudo-conseguir
Começar do zero outra vez, mas agora "eu" como "eu"
E não como "nós".


Hesitante e agitada
Tímida, sem uma mão
Disfarço-me de brava com intenções de aço
Pequena e distante.


Primeiro dia, primeiro dia
Começa outra vez
Primeiro passo, primeiro passo
Sem fazer muito sentido, ainda
Eu finjo até eu pseudo-conseguir
Começar do zero outra vez, mas agora "eu" como "eu"
E não como "nós".


Olhos molhados
Abertos e cansados
Se deus está fazendo apostas
Eu rezo que ele queira perder.


Primeiro dia, primeiro dia
Começa outra vez
Primeiro passo, primeiro passo
Não estou nem fazendo mais sentindo por enquanto
Eu finjo até eu pseudo-conseguir
Começar do zero outra vez, mas agora "eu" como "eu"
E não como "nós".

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Dor diferente a que cada ser sente somente...

























É a dor provocada pela mísera e pensante mente

Essa que pesa pesada
Profunda,  nada rasa 
Fincada na frente da gente.


É a dor provocada pelo mísero fogão

Esse da cozinha que queima carvão

Comida não e não.


É a dor acumulada por anos de culpa católica

Essa vivida nos moldes cristã

A arder na espinha e a derrubar os dentes - vã e vã.


É a dor sussurrada ao pé do ouvido 

Pela própria boca da gente

Dizendo mesmo entalada: - Fui eu, fui eu. 


Essa dor

Essa má e malvada

Essa desgraça, desgraçada

Mistura escancarada

Falta de auto-perdão

Para o outro sim

Para mim compaixão nunca tem não.


Esquece 

Esqueceu na escada

Enquanto se punha a lavar o santinho

Aquele do altar

Pobre, 'tadinho'...


Bem feito moça

Bem feito rapaz

Bem feito penitência abocanhada

Tão má, tão malvada.


Outrora quisera a cara limpar
Frente ao mesmo altar
Daquele infeliz, o crucificado,

O filho do tão 'ele' falado

Aquele que renasceu sim

Voltou sem flores

Somente cheirando a jasmim.


Mas pai nenhum teria

Deixado sua pobre cria - criado -

Semi-calado 

Tão cinza, tão abafado

Morrer na cruz crucificado.


Sim, mãos sangrando na madeira fria

Todo nu, pelado - sem roupa? -

Pai esse, sem dúvida, um malvado. 


É hora de parar de mentir

Olha bem, olha aqui 

Sim, olha para mim.


'Cê' sabe bem, muito bem

Que o tal, o 'ele' - já citado - 

Pode-se dizer que é farsa criada

Para não se conceder 
Razão em viver. 


Esquece, existe não

Se, por ventura, existisse

Não teria criança lambendo calçada

A pensar que é doce sendo salgada. 


Deve ter ido morar junto a lúcifer - foi tarde -

- Sinto pelo pobre Jesus -

Que aos quatro cantos a voz elevou

Ao falar a fala mais bela - homem magro de coragem:

- Amai-vos uns aos outros... 


Jesus sinto tanto por você 

Mas, cá entre nós tenho a dizer:

- Acreditastes mesmo que poderias

Ao se deixar na cruz pregar

Salvar a humanidade,
Essa tão feia e tão fria?


Se decidires um dia voltar

Vou eu contigo - não -
Vou eu no teu lugar

E concedo minhas mãos
Mesmo sendo esse meu coração

Desprovido de fé e esperança
A quem quiser elas martelar.


Somente porque tu foste e sempre serás

Um rapaz ingênuo, porém, de coragem 
Suficiente a dar e doar
A todos que por aqui, nesse lugar, 
Conseguirem se fazer 
E ainda algo deixar a restar.

Janis Joplin - To Love Somebody





There's a light, certain kind a light,
Never ever, never shone on me, no, no.
Honey, I want, I want my whole life
To be lived with you, babe,
That's what I want oh, was to be
Living and loving you.


There's a way, oh everybody say
You can do anything, every thing yeah.
But what good, what good,
Honey, what good could it ever bring
'Cause I ain't got you with my love
And I can't find you babe, no I can't.


You don't know, you don't know what it's like,
No you don't, honey no you don't know,
You don't know what it's like
To love anybody.
Oh honey, I wanna talk about love
And trying to hold somebody
The way I love you babe,
And I've been loving you babe.


In my brain, oh I can see your face again,
I know my frame of mind, yeah.
But nobody, nobody has to ever be so blind,
Honey, like I did, I know I was blind,
Honey, I tell you that I was, I was very, very blind.
Oh but I'm just a girl,
Can't you just take a look at me and tell,
Tell that I live, honey I live and I breathe for you,
Don't you know I do!


But what good, what good,
Honey, what good could ever do
'Cause I ain't got you, that's all I've ever wanted,
And I ain't got you, babe, oh but I've been looking 'round.
But you don't know, you don't know what it's like,
No you don't, no, no, no, you don't know,
Honey, you don't know what it's like
Oh to love anybody.
Oh honey I wanna talk about
Trying to hold somebody when you're lonely
The way I loved you, baby,
And I just want you to know I tried.


Oh I know that there's a way
'Cause everybody came to me one time and said,
Honey, you can do anything,
Every little thing, and I think I can.
Oh, but what good, what good,
Honey, what awfully good can it ever, ever bring,
'Cause I can't find you with my love,
And I can't find you babe, oh anywhere.


Oh, but you don't know,
You don't know what it's like,
No you don't and you never ever, ever did.
You don't know, honey,
You don't know what it's like
Oh, to love anybody.
Oh, honey I wanna talk about trying to hold you.


Oh baby, baby, baby, yeah,
But you don't know,
You don't know what it's like,
And you never ever, ever did,
I said I tried to throw my love around you
And I tried to help you darling.
But you never ever, no you never ever,
No you never ever, no you never ever,
I know that you know that
No you never ever, ever, ever,
Oh let me throw my love,
Throw my love all around you, yeah.


Para Amar Alguém
Existe uma luz, um certo tipo de luz,
Que nunca, nunca brilha em mim, não, não.
Querido, eu quero, eu quero que a minha vida toda
Seja vivida com você, baby,
Isso é o que eu quero oh, era para ser
Viver e amar você.


Existe um jeito, oh todo mundo diz
Você pode fazer qualquer coisa, cada coisa...
Mas esse suficiente,esse suficiente,
Querido, esse suficiente nunca poderia trazer
Porque eu não tenho você com o meu amor
Eu não posso achá-lo, baby, não, eu não posso.


Você não sabe, você não sabe como isso é
Não, você não sabe, querido você não sabe
Você não sabe, isso é como,
Amar alguém.
Oh querido, eu quero falar sobre amor
E tentar envolver alguém
Do jeito que eu te amo baby
E eu tenho amado você, baby.


Na minha mente eu posso ver seu rosto de novo,
Eu conheço o meu humor, sim.
Mas ninguém tem que ser sempre tão cego
Querido, como eu fui, eu sei, eu fui cega.
Querido, eu te disse que eu fui muito, muito cega.
Mas eu sou só uma garota
Você não pode apenas me dar uma olhada e dizer
Dizer que eu vivo, eu vivo e respiro por você.
Você por acaso não sabe que eu faço isso!!!


Mas esse suficiente, esse suficiente
Querido, esse suficiente jamais poderia fazer
Porque eu não tenho você, e isso é tudo que eu sempre quis.
E eu não tenho você, baby, oh mas eu tive olhando em volta
Mas você não sabe, não sabe como é
Não, você não sabe, não, não você não sabe
Querido, você não sabe com isso é
Oh, amar alguém
Oh querido eu quero falar sobre
Tentar envolver alguém quando você está sozinho
Do jeito que eu te amo, baby
E eu só quero que você saiba Eu tentei


Oh eu sei que existe um jeito
Porque todo mundo vem me dizer
Querido, você pode fazer qualquer coisa,
Cada pequena coisa, e eu logo penso que eu posso.
Oh, mas esse suficiente, esse suficiente
Querido, esse terrível suficiente, ele sempre pode, sempre trazer,
Porque eu não acho você com o meu amor,
E eu não posso achar você baby, em nenhum lugar.


Oh, mas você não sabe.
Você não sabe, como é isso,
Não você não sabe nem nunca, nunca soube
Você não sabe, querido
Você não sabe como é isso
Oh, amar alguém.
Oh, querido eu quero falar sobre a tentativa de envolver você.


Oh baby, baby, baby, sim,
Mas você não sabe,
Você não sabe como é isso,
E você nunca, nunca soube.
Eu digo, eu tentei lançar meu amor em volta de você
E eu tentei ajudar você querido.
Mas, você nunca, não você nunca,
Não você nunca, não você nunca
Eu sei que você sabe que
Não você nunca, nunca. nunca
Oh, me deixe lançar meu amor
Lançar todo o meu amor em volta de você, sim.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Há pouco enviei para meu irmão... Schubert...










Gerri a existência nunca fez sentido para mim. Isso é antigo, carrego desde pequena, constatei faz tempo.

Até então através da igreja e da vó encontrava a paz e serenidade que precisava para caminhar.

A maternidade me deu o que faltava: Sentido em existir.

Vivo nesse momento a situação mais difícil da minha vida. Estou tão só e tão triste que dói só de escrever.

Racionalmente me preparei para que meus filhos seguissem caminho... Porém, esse preparo não passou de uma farsa racional, pois, emocionalmente jamais me vi ou vejo-me sem a presença deles.

Não quero parecer piegas mas, ao longo dos meses tenho constatado meu poder de auto-destruição.  Estou desprovida de qualquer valor em relação a mim, seja esse em qualquer circunstância ou papel...

Ano passado acreditei que jamais sentiria uma dor como a que senti ao ver JG internado. Outra mentira. Esse ano é o dobro que dói em mim.

Estou mais isolada e melancólica do que nunca.

Hoje arrumando uns livros caiu rente meus pés um postal lindo - preto e branco - que você me enviou de Londres de Schubert. Recordo que comentara contigo que ele só poderia mesmo ser aquariano...

Seus dizeres:

'Certa vez ouvi um canto tímido, quase calado, no fundo de teu íntimo. Atado a ti, desde então, permaneci do mesmo modo, tímido, calado... distante. O som do relógio soou. É dia.'

Tremi, literalmente, as mãos e o corpo, ao ler e recordar algumas fases de nossas vidas.

Insisto em lhe procurar e expor-me mesmo sendo você AQUARIANO.

Com amor,

Suor


Que saia de mim


De dentro pra fora

Que saia de mim

Que seja agora

Que saia de mim

Que não fique mais hora

Que saia de mim

Que vá rua afora

Que saia de mim

Que vá logo embora.


Pois, aqui dentro, em mim,

Dói a dor do 'doroso'

Pois, aqui dentro, em mim,

Dói a dor do que chora

Pois, aqui dentro, em mim,

Dói a dor do que foi outrora.


Que saia de mim

Que vá logo embora

Que saia de mim

Pois, aqui dentro, em mim,

Maltratou tudo também lá fora

Nada restou, nada ficou.

E nada mais resta agora

Nem por hora

Nem para mim, a que chora.


Que saia de mim

E caminhe firme assim

Passadas pisadas

Chão solo marcado

Na mente nada a lembrar

Nada a dormir nem calar

Na mente que vá, evapore.

Evaporado seja e será

Que saia de mim

Que vá logo embora

Que saia de mim

Que não volte outra hora

Que saia de mim

Não mapeie estrada

Que saia de mim

Não mapeie caminho

Que saia de mim

Não mapeie - inexistente - alvorada.

Que vá logo - vá agora -

Vá buscar tua outra tua - somente - senhora

Que está na cidade vizinha

Na cidade vizinha está ela sozinha

Quanto a mim

Fico bem, fico aqui

Fico só comigo

Fico comigo a sorrir

Alto esse feito

Alto essa história

Que acaba, finda

Finda acaba, agora - tarde -  

Já, nessa hora

Tão fina

O ponto se põe

É passado

Virou, foi embora

É passado

Virou nada, agora.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Bizet - Carmen - Habanera

http://www.youtube.com/user/gilvania631#p/f/16/8w9yJdkeryI

L'amour est un piseau rebelle
Que nul ne peut apprivoiser
Et c'est bien en vain qu'on l'appelle
C'est lui qu'on vient de nous refuser


Rien n'y fait, menaces ou prieres
L'un parle bien, l'autre se tait
Et c'est l'autre que je prefere
Il n'a rien dit mais il me plait


L'amour, l'amour, l'amour, l'amour
L'amour est enfant de boheme
Il n'a jamais jamais connu de lois
Si tu ne m'aimes pas je t'aime
Si je t'aime prend garde a toi
Si tu ne m'aimes pas
Si tu ne m'aimes pas je t'aime
Mais si je t'aime, si je t'aime
Prends garde a toi


L'oiseau que tu croyais surprendre
Battit de l'aile et s'envola
L'amour est loin, tu peux l'attendre
Tu ne l'attends plus, il est la


Tout autour de toi, vite, vite
Il vient, s'en va puis il revient
Tu crois le tenir, il t'evite
Tu crois l'eviter, il te tient


L'amour, l'amour, l'amour, l'amour
L'amour est enfant de boheme
Il n'a jamais jamais connu de lois
Si tu ne m'aimes pas je t'aime
Si je t'aime prend garde a toi
Si tu ne m'aimes pas
Si tu ne m'aimes pas je t'aime
Mais si je t'aime, si je t'aime
Prends garde a toi


Carmen

O amor é um pássaro rebelde

Que ninguém pode domar

E é em vão que nós o chamamos

É ele que acaba de nos ser recusado

Não adianta nada, nem ameaças ou orações

Um fala bem, o outro se cala

E é este último que eu prefiro

Ele não disse nada mas ele me agrada

O amor, o amor, o amor, o amor

O amor é o filho da boêmia

Ele nunca conheceu as leis

Se você não me ama, eu te amo

Se eu te amo melhor se cuidar

Se você não me ama

Se você não me ama, eu te amo

Mas se eu te amo, se eu te amo

Melhor se cuidar

O pássaro que você pensou surpreender

Bateu suas asas e voou

O amor está longe, você pode esperá-lo

Você não espera mais, aqui está ele

À sua volta, rápido, rápido

Ele vem, se vai e depois volta

Você acha que o segura, ele te escapa

Você acha ter escapado dele, ele te segura

O amor, o amor, o amor, o amor

O amor é o filho da boêmia

Ele nunca conheceu as leis

Se você não me ama, eu te amo

Se eu te amo melhor se cuidar

Se você não me ama

Se você não me ama, eu te amo

Mas se eu te amo, se eu te amo

Melhor se cuidar.

Peixes com gêmeos...

Li em algum lugar, sei lá,

Que sou oito em um... Sim oito pessoas em uma!


Feito.

'Done'.

Todavia a pergunta: Não poderia ser somente 4?







'Done again'.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Google versus lúcifer versus 'nossas coisas'

Por favor, não reparem nos espaços vazios, lacunas, no 'lay out' do blog. Vez ou outra o Google manda 'nossas coisas' pro inferno.



Abraços.

domingo, 20 de novembro de 2011

Ei...
























Seja por deus
Seja por louvor
Seja por ódio
Seja por amor
Seja por ti
Seja por quem for
Seja por mim
Seja por quem ficou
Seja pelo que virá
Seja pelo suada dor
Seja sei lá
Seja pelo que for
Preciso apenas de um favor
Uma resposta pequena
Agora, JÁ, NESSE MOMENTO, NESSA HORA:

- Porque tal penitência? Porque tamanho castigo? Errei Tanto assim? Sou eu a mais cruel de todas em todos os Tempos? Alguém aí grite algo, qualquer coisa, grite alto, preciso ouvir agora:

- Já. Nesse momomento. Nessa hora.

sábado, 19 de novembro de 2011

Hum...


Vou dormir agora...
Deixo para chorar n'outra hora.

- Vens comigo? Ficas?

- Vens comigo? Não, vais embora.



sábado, 25 de junho de 2011

By Rainer Maria Rilke


"Não é só a inércia a responsável pelo fato das relações humanas se repetirem caso após caso indescritivelmente monótonas e viciadas. É a inibição frente a qualquer experiência nova e imprevista com a qual não nos achamos capazes de lidar. Mas só alguém que esteja corajosamente disposto a qualquer coisa, que não exclua nada, nem mesmo o mais enigmático, viverá a relação com o outro como uma experiência viva".